A Relevância da Auditoria em Condomínios

condomínio

15 de junho de 2016

São avassaladoras as notícias televisivas abordando as fraudes constantes nos condomínios residenciais, com isso reacenderam-se os questionamentos acerca de como nós, na qualidade de condôminos, podemos agir diante de tamanha barbárie.

Não obstante, a crise política que degrada o país e expõem cruamente a corrupção na sua forma mais vil, que é a utilização do dinheiro público para fins pessoais, começamos a perceber que condutas semelhantes vêm sendo praticadas dentro dos nossos próprios condomínios.

A percepção acerca de a corrupção estar mais próxima de nós, faz com que pensamos mais proeminentemente sobre como o dinheiro dos condôminos vem sendo gerenciado, ou seja, questiona-se se ele  está sendo aplicado corretamente e se realmente os gastos realizados estavam de acordo com as necessidades.

As relações líquidas, correrias diárias, compromissos pessoais, busca de filhos na escola entre outras condutas que tornam o nosso dia-a-dia extremamente dinâmico, acaba nos afastando das preocupações quanto estas questões.

Essa falta de controle da vida financeira condominial, muitas vezes na mão de um síndico profissional ou até mesmo de um morador que não possuí uma organização financeira satisfatória, pode ocasionar a bancarrota do próprio condomínio.

Para tanto, torna-se necessário lançar mão de mecanismos de controle destes gastos, como já ocorre no setor público, por meio de Auditorias Independentes nas contas e balanços patrimoniais da maioria dos órgãos e entidades do Poder Público.

A auditoria não busca apenas imprimir confiança nas contas prestadas pelo síndico, mas também consolidar o caráter ético do mesmo, gerando credibilidade e excluindo indivíduos de índole duvidosa desse mercado.

Destarte, a auditoria não pode ser vista como um expediente a ser utilizado apenas pelos condôminos ou condomínios, mas também pelos próprios síndicos, no afã de projetarem probidez e lisura à sua imagem.

Atualmente não existe nenhuma obrigação legal para realização de Auditoria em Condomínios, mas sem dúvida existe a obrigação moral de implantação dessa cultura em nossos lares, não simplesmente para apontar fraudes, mas sim para demonstrar o quanto estamos preocupados com a transparência de todo tipo de Administração.

A lei existe e serve para todos, nós, Auditores e Advogados, estamos aqui para fazer cumpri-la, independente de quem for atingido pelo resultado.

Willian I. Reinaldo – Advogado

Voltar

(51) 3037.5034

Serviços